Tag Archive: verso


Teimosa Chuva

Teimosa chuva. Por que não paras?
O sangue coagula. Oxidadas veias.
E o meu pobre coração mofado,
bate fora do tom. Descompassado.
Todo o alento sucumbe às cheias.
Inspiração afogada; me desamparas.
O dilúvio cresce, choram as vidraças
O céu se cobre com uma capa gris
Gota a gota as ideias são levadas
Perdem-se no ímpeto das enxurradas.
Então, o meu verso emerge infeliz.
Asas molhadas; passarinho sem graça.
Palavras ensopadas; sem paradeiro,
escorem pelos dedos. Tormento.
Nada do que escrevo permanece.
A musa em umidade se desvanece.
Então pergunto ao firmamento:
Porque não pára este aguaceiro?
Rosemarie Schossig Torres
Anúncios

Versos Suados

Pedi à musa, versos de improviso…
E ela, com enigmático sorriso
deu-me um punhado de sementes
e profetizou inclemente:
Escreverás versos suados
como o trabalho de Adão,
depois do paraíso.

Então fiz novo pedido:
Quis ao menos um ornamento.
Mas ela com misterioso acento
deu-me paleta e tintas…
E disse: se belas metáforas pintas
terás adorno suficiente.

Por último solicitei timidamente:
Um pouco de harmonia
e a musa emendou com ironia:
as palavras já tem seu próprio som,
siga o coração, escute seu tom
e farás as rimas cantarem…

Rosemarie Schossig Torres

Achados E Perdidos

Perdeste algum sentimento?
Busca no piso da tua alma.
Ao rés do chão
Entre as pequenas sensações
Que semeias e colhes
Todos os dias…
Perdeste um momento?
Procura num vértice do tempo
Ali onde o vento faz a curva
Quem sabe não caiu por aí…
Perdeste um verso?
Talvez esteja nas entrelinhas
Dos pensamentos que nadam
No mar da sua mente.
Quem sabe não se afogou
Naquele momento perdido
Quando perseguias aquela emoção
Que já não é mais…
Rosemarie Schossig Torres